05/05/2011

pare de ler

as origens do nunca
germinadas no ninho
continuam crescendo, brancas

eu queria que o vapor dessa presença
fosse como nuvem negra
livre, longe, apocalipse

mas os dias passam
depositando cinza
no túmulo das compreensões




♠ update (10/05)                          


           preciso escrever um poema 



♠ update (09/06) 

                                                                                                                   (          )

4 comentários:

Chicco disse...

Fazia tempo que eu não aprecia por aqui. Adorei retornar e te encontrar bem e escrevendo como sempre. Abs.

Clayton C. disse...

poema muito bonito
como há muito ñ encontrava na net

Anônimo disse...

as origens do nunca
germinadas no ninho
continuam crescendo, brancas

quero o vapor dessa presença
como nuvem negra
livre, longe, apocalipse

mas os dias passam
depositando cinza

banda chinfra disse...

forte e ácido apesar de aparentemente triste o poema me passou a busca do conhecimento ou a vontade de um mergulho no desconhecido.