26/02/2017

nariz

(já estou fugindo)
(já fugi)
(você ganhou)

Mania e também sintoma biossocialista que tentei dramatizar com o teatro da vertigem, concluí que a cena foi lida como desejo, pedido, visto que a equipe executava pavoroso gesto de limpeza nasal, cônscia de que magoava, gazeava olhos do espectador. Vim até aqui por causa de vocês, biografando cimento sobre meias verdades desse imenso leque com notas de noia e motivos de areia. Batizo processo de desertificação de subjetividades: menos aspectos pra submeter nomes ideais, aperfeiçoamentos exopessoais. Sinto quase irresistível vontade de masturbá-lo e caducar todo acúmulo de vã concentração. Coça a música ambiente, tento me controlar, já na fila do sopão:

- você é jornalista?
- não
- isso é o quê? uma agenda, um livro? vai anotar nossa conversa?
- não

(funga com desprezo enquanto tampo caneta com a boca)
(para tal registro volto a escrever)
(volta a fungar forte)


Nenhum comentário: