05/11/2009

amigo

Caetano não quis falar de Elis prá emissora que deve 80 reais à figuração que não falou deste blog num instituto de pesquisa cenográfico. No embalo da recusa, encontro com leitores de omissão, recentemente, é autossabotagem de bar: Lilia Cabral + um cinquentão satirizam jovem sonhadora: ah... tomara que ela continue assim, pra sempre jovem, rsrs... Crise de adultismo é coisa do Diabo, mas psicóloga-pastora diz que gravará vergonhas no ar, antes da marcha para Jesus. Antes do café da manhã, palavra: amanhã tem pesquisa.
Sem adeus e sem olhar pra trás: fofocam sobre grosseria, depois querem pagar almoço prás cenas de não-conclusão, contrastada com patrão de família feliz: ah... entrementes barulho da rua queira macumbar respostas, Catchusquinha Vasconselos despede-se sem dobrar fôlego de interrogações. Kleos diz que é de escorpião: libriano(a)(s) entendem apneia romântica. Já Soraya sai do brechó evangélico com sapato 39 pro pé 43 de Augusta - a musa dos marginais.
Parte da sua falta está em Augusta. Parte das ruas, espírito pra sempre homeless, cínico, engraçado: ou você é ladrão ou filhinho de papai, nunca parte da paisagem, querendo sonho antes da alegria em destino que, aflito, vai tornando-se irreconhecível apartir do segundo encontro: um contexto sempre acaba elevando-se a outro: não ☆ Ση╬∉и∂єற ☆ por que você. faz cara feia no show de hard-core, pois não é normal pedir 2 reais pra acomodar-se na tenda sensorial: ah... que bálsamo... Deixa-se de cuspir na cara de metaconversas para ver Teatro Oficina em festa de garagem pseudoárida: seria underground se não fosse cômico reivindicar paquera$ e partir: ficou vazio seu lugar.
Lugar de amigo: quem te preza pelo que você é e não pelo que os outros querem que você seja: membro de suruba artística, pastor maluco-co-co-co...(contemporâneo) e/ou leitor da Vice: eis algo que tira piauí do pódio neojunkie, politizado em não-beijos: você espera rango em frente ao casarão de Pâmelo das Águas e consciências aliban-burguesas encontram algo a mais embaixo da bandeja. Ultra-fame-sensation não tem segredos: não dá pra voltar atrás. Fúrias são mais fortes na matraca, devassando filho adotado: que vontade de chorar, achar culpa na falta de respeito, acordando, antes de ver mais belos quadros em sono de lar tranquilo e eterno... Você se alimenta bem. Sua família nunca fez mal a ninguém. Família cigana com paraíso adiantando fuga: deixar de olhar essa lua maravilhosa, deitar intuito solitário,,, em nova casa: desta vez vamos morar juntos!
.
.


.
.
"E que o rush.
me engula.
cuspindo vírgulas....
e desandando tudo.
freando tudo.
descubra e destrua.
A MATÉRIA DO PENSAMENTO".
.

Rick Mendes.

5 comentários:

allan disse...

você devia ter ficado pra tenda dos sentidos, você poderia ter ficado e nos contado mais da vida, você poderia não ter feito cara feia, mas havia o outro dia, e a intolerância com algo que te deixou de cara feia.
vontade de chorar é importante. fazê-lo mais ainda.

Dora disse...

como tem passado?
queria conversar com voce...

Dora disse...

sou eu, Gal

um cara legal... disse...

Gal: não consigo te achar...

Anônimo disse...