25/11/2009

estreia

Em 2007 escrevi um texto maluco com o título de "Augusta". Mandei cópia para alguns amigos da rua, mas 95% deles não davam resposta.
A estória gira em torno de um travesti que nunca sabe se está sonhando ou se está acordada: ao mesmo tempo em que é perseguida por fotógrafos, tem de dar entrevistas para um carrasco que - junto com a amante e ex-funcionária da polícia psíquica - talvez seja apenas consciência digna de uma "musa dos marginais".
Aluna de teatro aplicada, porém rebelde, a boneca ensaia dentro de igreja do século retrasado e depois se apresenta no night club Inferno, com direito a leitura de diário, apresentação musical, orgia com pimenta...
Magali, Boca de Rango, Xana Arregaçada, Xana Operada, Cara e Alma de Flores são algumas das outras personagens dessa divertida trama, sempre girando em torno do exagero.
Hoje não sei se teria coragem de publicar tal ousadia, mas que trata-se de algo legal, inovador e surpreendente, isso eu tenho certeza.
O que sobrou de tal aberração estreia nesse fim de semana.
Augusta faz participação no grande elenco de
feminino austero em cidade torpe - greatest hits teatral-poético dos tipos mais comuns da decadência urbana à qual nós, moradores das grandes cidades-cão, temos de nos adaptar, embora muitas vezes tudo não passe de representação num contexto onde não podemos ser o que devemos, com todo nosso potencial, como espíritos de luz, espíritos amigos e amáveis.
Não percam.
.
.
.

5 comentários:

Fumaça Subindo disse...

alo?

Anônimo disse...

ARRRR-QUIII-TE-TUUUUURAAAAAAA!!!

luma disse...

COMENTEEEI ahaha antes tarde que nunca né? fala seerio!

a augusta era muito liinda!
ahaha pena que acabou :(
pra augusta e pra kitty! ahhaha

n foi só vc que quiz dar nome pra personagem tá ;)


beijo beijo

Anônimo disse...

Ví o endereço desse blog escrito na cadeira do busão.

um cara legal... disse...

sim... um busão de sampa... eu escrevo em banheiros de boteco também, essas coisas...